Follow by Email

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Ciências: VEGETAÇÃO

Pra falar de vegetação só estando em cima dela.
A professora Graça falou conosco sobre Vegetação, então resolvi também registrar algumas coisas para ampliar e fortalecer os meus estudos.

Minha mãe sempre fala que aprendemos mais quando usamos o conhecimento, pois assim a gente está experimentando, vivenciando. Ah! Minha mãe é educadora e é o meu maior orgulho.






Tipos de vegetação no Brasil


Mata Atlântica

Mata Atlântica - É uma floresta de clima tropical, quente e úmido. Predomina na costa brasileira, onde planaltos e serras impedem a passagem da massa de ar, provocando chuva. Entre as florestas tropicais, é a que apresenta a maior biodiversidade por hectare do mundo, com espécies como ipê, quaresmeira, cedro, palmiteiro, canela e imbaúba. É a mais devastada das florestas brasileiras. Inicialmente estendia-se do litoral do Rio Grande do Norte ao de Santa Catarina. Os 7% restantes da mata original, que ocupava 1.290.692,4 km², encontram-se nas regiões Sul e Sudeste, preservados graças à presença da Serra do Mar, obstáculo à ação humana.

 

Caatinga
Caatinga - Ocupa a região do sertão nordestino, de clima semi-árido, o que corresponde, aproximadamente, à décima parte do território brasileiro. É composta de plantas xerófilas, próprias de clima seco, adaptadas à pouca quantidade de água: os espinhos das cactáceas, por exemplo, têm a função de diminuir sua transpiração. O solo da caatinga é fértil quando irrigado. Essas plantas podem produzir cera, fibra, óleo vegetal e, principalmente, frutas. Por causa do baixo índice pluviométrico da região sertaneja, as plantas dependem de irrigação artificial, possibilitada pela construção de canais e açudes.

Pantanal Matogrossense
Pantanal mato-grossense - É a maior planície inundável do mundo. Ocupa uma área de 150.000 km², englobando do sudoeste de Mato Grosso ao oeste de Mato Grosso do Sul até o Paraguai. Nessa formação podem ser identificadas três diferentes áreas: as alagadas, as periodicamente alagadas e as que não sofrem inundações. Nas áreas alagadas, a vegetação de gramíneas desenvolve-se no inverno e é usada para o gado bovino. Nas de eventuais alagamentos encontram-se, além de vegetação rasteira, arbustos e palmeiras como o buriti e o carandá. E nas que não sofrem inundações predominam os cerrados e, em pontos mais úmidos, espécies arbóreas da floresta tropical.
Cerrado
Cerrado - Formação típica de área tropical com duas estações marcadas, um inverno seco e um verão chuvoso. Sua área de ocorrência é o Brasil central. O solo, deficiente em nutrientes e com alta concentração de alumínio, dá à mata uma aparência seca. As plantas têm raízes capazes de retirar água e nutrientes do solo a mais de 15 m de profundidade. A vegetação caracteriza-se principalmente pela presença de pequenos arbustos e árvores retorcidas, com cortiça (casca) grossa e folhas recobertas por pêlos. Encontram-se, ainda, gramíneas e o cerradão, um tipo mais denso de cerrado que já abriga formações florestais.


Campo

Campos - Formados por herbáceas, gramíneas e pequenos arbustos, ocupam áreas descontínuas do país e possuem características diversas. São denominados campos limpos quando predominam as gramíneas. Se a estas se somam os arbustos, são denominados campos sujos. Quando ocupam áreas de altitude superior a 100 m são chamados de campos de altitude, como na Serra da Mantiqueira e no Planalto das Guianas. Já os campos da hiléia se referem às formações rasteiras que se encontram na Amazônia. Os campos meridionais, quase sem espécie arbustiva, como a Campanha Gaúcha, no Rio Grande do Sul, são ocupados principalmente pela pecuária.
Mata de araucária - Própria do clima subtropical, é encontrada na Região Sul e em trechos do estado de São Paulo. É uma floresta aciculifoliada (folhas em forma de agulha, finas e alongadas) e tem na Araucaria angustifolia, ou pinheiro-do-paraná, a espécie dominante, cujo fruto é o pinhão. Atingem mais de 30 m de altura e possuem formação aberta, oferecendo certa facilidade à circulação. Seu principal produto, o pinho, tem ampla e variada aplicação econômica na indústria de móveis, na construção civil e na indústria de papel e celulose.



Mata de cocais - Situada entre a floresta amazônica e a caatinga, a mata de cocais está presente nos estados do Maranhão e do Piauí e norte do Tocantins. No lado oeste, onde a proximidade com o clima equatorial da Amazônia a torna mais úmida, é freqüente o babaçu: palmeiras que atingem de 15 a 20 m de altura. Dos cocos do babaçu extrai-se o óleo, muito utilizado pelas indústrias alimentícia e de cosméticos. No lado mais seco, a leste, predomina a carnaúba, que pode atingir até 20 m de altura. Das folhas da carnaúba é extraída a cera.




Mangue
Mangue - É uma formação vegetal composta de arbustos e espécies arbóreas que ocorrem em áreas de lagunas e restingas ao longo de todo o litoral. Nessa formação vegetal predominam troncos finos e raízes aéreas e respiratórias (ou raízes-escora), adaptadas à salinidade e a solos pouco oxigenados. Por ser rico em matéria orgânica, tem papel muito importante na reprodução e no abrigo de espécies da fauna marinha.
Restinga - É uma vegetação própria de terrenos salinos, formada por ervas, arbustos e árvores. Predomina no litoral da Bahia ao Rio de Janeiro e no do Rio Grande do Sul. Os destaques são a aroeira-de-praia e o cajueiro.



4 comentários:

  1. Parabéns Bibia!! É sempre bom registramos tudo de bom que aprendemos!! :-) Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Filha!
    Vc fala tanto que sou seu orgulho, mas olha vc sim é meu maior orgulho. Aproveita bastante filhota. É uma excelente forma de estudar.

    ResponderExcluir
  3. legal mesmo, mas da uma olhadinha na mata dos Cocais, vc pois uma foto da Mata de Araucárias caracteristica do sul do Brasil e nao da mata Maranhense.

    desculpe a critica
    jonathan trentini

    ResponderExcluir
  4. Após a visita de jontrentini pude perceber que por engano coloquei uma imagem errada, mas agora a imagem da mata dos cocais está correta.
    Obrigada visitante. É por isso que é importante a contribuição e participação de todos.
    Bia

    ResponderExcluir